EFMM abandonada

http://m.sgc.com.br/diario-da-amazonia/lenha-na-fogueira-137

LENHA NA FOGUEIRA

Férias, que férias! Meu amigo Cal que o diga como é gozar férias na atual situação brasileira e ainda por cima, com a “Enchente” do rio promovida e divulgada pelos quatro cantos do “mundo”. “Enchente pra inglês vê”!

Salve, salve o início do ano de 2015, depois de mais um feriadão “da Semana Santa”, quando o que mais se viu, foi a fumaça preta cobrindo o céu não apenas da cidade de Santos no litoral paulista, mas, cobrindo todo o Brasil com tanta fuligem que tentam esconder debaixo do tapetão, para que a “Correnteza da Lava Jato”, não leve para os porões da Praça dos Três Poderes.

Salve o ano que “começa”, com a prefeitura de Porto Velho fingindo que está tratando o nosso patrimônio histórico com dignidade e os dirigentes daquela entidade que luta por sua preservação, com certeza, fingindo que acreditam.

Salve o ano que “começa” e nos faz descobrir que a nossa querida Porto Velho é a terra onde é Melhor DESTRUIR que PRESERVAR.

Por exemplo: Você já viu, ouviu ou assistiu o governo municipal ou estadual, inaugurando ou entregando alguma obra construída para amenizar o prejuízo sofrido pelos atingidos pela ENCEHNTE do rio Madeira de 2014?

Mas, com certeza pode ver a hora que quiser, o CAMELÓDROMO destruído, o GALPÃO DA FEIRA DO AGRICULTOR destruído. O MERCADO DO PEIXE destruído. A PRAÇA DA MADEIRA-MAMORÉ abandonada, sem iluminação, sem limpeza, sem nada.

Com certeza se você não viu, pode ver, a qualquer momento, AS PEÇAS DO MUSEU DA EFMM até hoje todas enlameadas e o que é pior, “jogadas” num local não adequado. Aí vem a prefeitura e divulga uma nota, como se fosse a dona da “cocada preta”, se orgulhando de ter levado alguns ferroviários pra ver as peças amontoadas e sem nenhuma garantia de que um dia voltarão para o local de onde nunca deveriam ter sido tiradas.

Para eles é melhor acabar com o Museu do que preservá-lo, patrocinando a sua recuperação. É uma esculhambação generalizada e o pior, é que o Iphan, o Exército e o raio que os parta, concordam com essa aberração.

Por outro lado, até hoje, nada fizeram para amenizar os prejuízos causados aos ribeirinhos atingidos pela enchente do rio em 2014.

Em vez de procurarem recuperar por exemplo o Distrito de São Carlos, iludiram sua população dizendo que vão transferi-la para uma nova localidade do outro lado do rio.

É bem melhor destruir o que o povo construiu em anos e anos de cultivo, transferindo sua moradia para outro local, do que ajudar na manutenção da localidade, que é muito mais velha que Porto Velho.

E as casas populares prometidas no ano passado (2014) que até agora não foram entregues? Nem falei de Nazaré e Calama.

Você já ouviu dizer que estão trabalhando num projeto para restaurar ou recuperar o bairro Tiângulo, o mais antigo bairro de Porto Velho? E nem vai ouvir tão cedo!

O negócio da Defesa Civil é dizer que o rio Vai encher de novo e que por isso não pode fazer nada, a não ser, tirar as famílias das áreas de risco.

Vem cá! Teve o desfile das Escolas de Samba de Porto Velho?

‘Disque’ vai ser em julho. Tu acreditas, mano? Pois eu não! “Entonce!”

Com tudo isso, amo essa terra de coração! Não tem diabo que me faça falar mal dela, nem político ruim vai conseguir isso.

E isso tudo é só porque o ano de 2015 está apenas começando e pro meu azar, só volto a tirar férias e quem sabe, consiga gozá-las em 2016.

No mais, espero que todos tenham ótimos resultados em seus empreendimentos neste ano que começou após a Semana Santa.

A Defesa Civil avisa: VEM AÍ O REPIQUETE DA SEMANA SANTA!

Enviado via iPad

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.