G1 – Memorial em homenagem a Marechal Rondon é apresentado em Rondônia – notícias em Rond ônia

http://g1.globo.com/ro/rondonia/noticia/2015/03/memorial-em-homenagem-marechal-rondon-e-apresentado-em-rondonia.html

Memorial em homenagem a Marechal Rondon é apresentado em Rondônia

Projeto foi apresentado na ALE nesta segunda-feira, 17, em Porto Velho (Foto: Ísis Capistrano/ G1)Projeto foi apresentado na ALE nesta segunda-feira, 17, em Porto Velho (Foto: Ísis Capistrano/ G1)

O projeto de um memorial em homenagem a Marechal Rondon, patrono das telecomunicações no Brasil, e que pode ser construído em Porto Velho , foi apresentado na tarde desta segunda-feira (17), na Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE), pelo Exército Brasileiro. Rondon foi responsável por construir uma linha telegráfica de Cuiabá a Santo Antônio, em 1907, e realizou levantamentos cartográficos, topográficos e linguísticos da região. O estado de Guaporé passou a se chamar Rondônia em homenagem ao Marechal.

O memorial será na área da igreja de Santo Antônio e pretende resgatar a memória da região e do desbravador, com centro de documentação histórica, auditórios e prédios destinados a contar a saga das linhas telegráficas, expedição Roosevelt e a história do Marechal. Segundo o comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, general André Novais, o memorial deve ser inaugurado em agosto de 2015, na semana do soldado.

O projeto é iniciativa do Exército Brasileiro e conta com alguns parceiros e patrocinadores, como Superintendência do Patrimônio da União de Rondônia (SPU), Instituto do Patrimônio Histórico e Artísitico Nacional (Iphan), Universidade de Rondônia (Unir), Santo Antônio Energia (SAE), prefeitura, governo e Termonorte.

Grupo de pessoas que representam entidades que apoiam o projeto também estavam na reunião (Foto: Ísis Capistrano/ G1)Grupo de pessoas que representam entidades que
apoiam o projeto também estavam na reunião
(Foto: Ísis Capistrano/ G1)

Na tarde de segunda, o projeto foi apresentado na ALE para que a casa de leis pudesse contribuir com a ideia. Uma emenda coletiva foi marcada para que cada deputado possa repassar um fundo de colaboração. “É o mínimo que a Assembleia poderia fazer para um projeto tão importante quanto o memorial de alguém que colaborou para o estado”, disse o presidente da ALE, Maurão de Carvalho.

Segundo o general Novaes, a ideia para o memorial surgiu quando ele chegou em Rondônia e percebeu que não existia um museu que contasse a história do Marechal homenageado no nome do estado. Ele explica que o projeto começou a ser desenvolvido em setembro de 2014 e está prestes a ser executado. Ele espera que a sociedade opine sobre a iniciativa. “O exército não quer trazer um modelo de memorial pronto e impor para a sociedade. Os rondonienses podem dar opiniões, pois serão os donos do memorial”, disse Novaes.

Segundo o consultor de responsabilidade social corporativa da SAE, Frei Philip Machado, a empresa vai ceder os espaços físicos para o memorial ser construído e proporcionar a segurança e manutenção dos prédios pelos próximos 24 meses.

Já a Unir prestará assessoria acadêmica na definição de determinados objetos correspondentes ao memorial e será responsável por criar e manter o centro de documentação histórica que vai funcionar no complexo. Segundo a reitora Berenice Tourinho, a Unir também se interessa por recuperar o marco de divisa do Amazonas com o Mato Grosso próximo ao memorial.

Enviado via iPad

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.