EFMM-CRONOLOGIA – Amantes Da Ferrovia

http://www.amantesdaferrovia.com.br/profiles/blogs/efmm-cronologia

EFMM-CRONOLOGIA

EFMM – Estrada de Ferro Madeira Mamoré
Cronologia da EFMM

Centro-Oeste n° 81 — 1° Ago. 1993

1861 – O general Quentin Quevedo sugere a construção de uma ferrovia nos rios Mamoré e Madeira.

1867 – A Comissão Keller estuda a possibilidade de ligação do Madeira a Guajará-Mirim.

1870 – O coronel George Earl Church funda a Madeira and Mamoré Railway, para construção da ferrovia

1871 – Banqueiros ingleses impõem ao coronel Church a contratação da Public Works Construction Co.

1873 – A Public Works rompe o contrato e abandona as obras.

1877 – O coronel Church assina contrato de construção da ferrovia com a P. & T. Collins.

1879 – A P. & T. Collins abandona as obras, deixando 7 km de linha construída.

1882 – A Comissão Morsing é encarregada de estudar o traçado da ferrovia.

1903 – Brasil e Bolívia assinam o Tratado de Petrópolis. O Brasil assume a construção da EFMM.

1907 – Percival Farquhar funda a Madeira-Mamoré Railway Co. e compra a concessão de construção da EFMM.

Antigo mapa com as conexões da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré
Mapa exposto em um site inglês de leilão de documentos históricos. Não citava fonte,
nem origem, nem nome do proprietário (Carlos Eduardo Campanhã)

1908 – A May, Jeckyll & Randolph inicia a construção da ferrovia a partir de Porto Velho.

1910 – Inauguração do primeiro trecho, de Santo Antônio a Jaci-Paranã.

1912 – Em 1º Ago., inauguração oficial da EF Madeira-Mamoré.

1931 – Alegando que a ferrovia era deficitária, a Madeira-Mamoré Railway Co. interrompe o tráfego. O governo brasileiro restabelece o tráfego e nomeia um interventor. A administração da ferrovia passa a ser brasileira.

1966 – O presidente Castelo Branco transfere a EFMM para o Ministério da Guerra. Cabe ao 5° Batalhão de Engenharia e Construção (5° BEC) a administração.

1972 – Desativação da EF Madeira-Mamoré.

1979 – Publicação da licitação de venda do acervo da ferrovia. Criação da Associação de Preservação do Patrimônio Histórico do Estado de Rondônia, e Amigos da Madeira-Mamoré.

1980 – Realização do Seminário Madeira-Mamoré, no qual foi solicitada a reativação da ferrovia e a preservação do seu acervo. Início da reativação de 25 km da ferrovia, de Porto Velho a Teotônio.

1981 – Reinaugurado o trecho entre Porto Velho e Santo Antônio (7 km). Reativado o trecho de Guajará-Mirim à Colônia do Iata, na outra extremidade da ferrovia.

1990 – O 5° BEC inicia um processo de abandono do pátio ferroviário da EFMM.

1991 – Paralisação dos passeios turísticos nos trechos reativados. Realização do carnaval na praça da EFMM — promoção Prefeitura de Porto Velho e Projesom.

1992 – Realização do 2° carnaval na EFMM, sobre o pátio ferroviário. Governo de Rondônia lança o projeto de transformação do pátio ferroviário em Centro Cultural e de Eventos. Mobilização da Associação dos Amigos da Madeira-Mamoré e outras entidades civis contra a descaracterização das instalações da ferrovia. Assinado acordo para a preservação do pátio ferroviário da EFMM, entre o governo de Rondônia, o Ministério Público e as entidades de defesa do patrimônio histórico.

acaoMMry.jpg
Ação da MM Ry Coompany à venda em um site inglês de
leilão de documentos históricos. Não citava fonte, nem
origem, nem nome do proprietário
(Carlos Eduardo Campanhã)

IN: CENTRO-0ESTE

Enviado via iPad

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.