Burocracia, lama e zelo pelas peças históricas impedem rápida revitalização da E.F. M.M. / Site de Notícias Rondônia Dinâmica

http://www.rondoniadinamica.com/arquivo/burocracia-lama-e-zelo-pelas-pecas-historicas-impedem-rapida-revitalizacao-da-efmm,70164.shtml

Burocracia, lama e zelo pelas peças históricas impedem rápida revitalização da E.F.M.M. / Site de Notícias Rondônia Dinâmica

Publicada em 21/05/2014 – 15h23min / Autor: Rondoniadinamica

Burocracia, lama e zelo pelas peças históricas impedem rápida revitalização da E.F.M.M.

Todo o perímetro que envolve a Estrada de Ferro Madeira Mamoré sofreu com a enchente do Rio Madeira. Barro, postes destruídos e galpões completamente inutilizáveis

Porto Velho, RO – O patrimônio histórico de Rondônia que passa pela Estrada de Ferro Madeira Mamoré correu – e ainda corre – sério risco de deterioração por causa da enchente do Rio Madeira.

As águas barrentas tomaram as galerias. Postes de luz foram arrancados com a inundação e troncos de árvores arremessados em cima dos bancos que, há pouco tempo, serviam para recepcionar e acomodar visitantes. O cenário do local após o recuo do rio é desolador.

Revitalizar a área e resguardar a história será um desafio gigantesco para a Prefeitura de Porto Velho que, de acordo com o secretario adjunto da Semusb (Secretaria Municipal de Serviços Básicos) Itamar Ribeiro, tem feito o que pôde.

– Assim que o Rio Madeira recuou iniciamos a limpeza no local. Fizemos o serviço até onde foi possível. Acontece que as máquinas, que são muito pesadas, ficaram atoladas por causa do volume da lama. E, além disso, o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) impediu que déssemos prosseguimento ao trabalho utilizando nosso maquinário, porque o acervo histórico poderia ser danificado – informou.

Itamar contou que ontem (20) houve uma reunião com representantes de sua secretaria, da Funcultural (Fundação Cultural) e do próprio Iphan. Ficou estipulado entre os presentes que o serviço será retomado nesta sexta-feira (23). Tudo será acompanhado de perto por membros do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, garantiu o adjunto.

A limpeza da Estrada de Ferro Madeira Mamoré será retomada com a ajuda de uma minicarrecadeira, mais leve e precisa. Ela levará o barro até a caçamba que irá retirar o entulho da região. Depois, quando o chão já estiver com pouca lama, um caminhão pipa se encarregará de eliminar o restante da sujeira.

– Esse serviço de limpeza deve levar de 30 a 60 dias. Após tudo acertado na parte externa da Estrada de Ferro, uma empresa será contratada especialmente para limpar as peças do museu que foram danificadas com a cheia do Madeira – finalizou.

Confira mais imagens

Enviado via iPad

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.