G1 – Visitantes da Madeira-Mamoré alagada pela cheia em RO cobram limpeza – notícias em Rondô nia

http://g1.globo.com/ro/rondonia/noticia/2014/05/visitantes-da-madeira-mamore-alagada-pela-cheia-em-ro-cobram-limpeza.html

Visitantes da Madeira-Mamoré alagada pela cheia em RO cobram limpeza

Lama cobre o complexo turístico da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (Foto: Suzi Rocha/G1)Lama cobre o complexo turístico da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (Foto: Suzi Rocha/G1)

O complexo turístico da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM), região central de Porto Velho, continua tomado por lama e sujeira após a baixa do Rio Madeira em Rondônia. Na tarde desta quarta-feira (14), nenhuma equipe de limpeza da Secretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb) estava no local. Turistas e visitantes reclamam da demora para retirar a lama deixada pela enchente. O governo afirma que prepara um Plano de Reconstrução no estado.

A estudante Flaiane Freitas, de 27 anos, que visitava o complexo turístico nesta manhã, disse que passou pelo local várias vezes e viu equipes de limpeza apenas uma vez. “Aqui está a nossa história, não sei o que estão esperando para limpar de verdade, restaurar. Tem muita lama”, afirma a estudante.

Um ambulante que trabalha na calçada da praça da EFMM afirma que as autoridades estão demorando para limpar o complexo. Ele reclamou ainda do lixo que é jogado no local. “O poder público não faz a parte dele e a população também não ajuda. Aqui a gente passa o dia recolhendo o lixo deixado por visitantes, mas a questão da lama lá em baixo precisa de uma solução urgente. O patrimônio que estava se acabando dentro d’ água agora está se acabando no meio da lama”, diz o ambulante que não quis se identificar.

O ator e diretor de teatro, Luciano de Oliveira veio de Belo Horizonte (MG) para prestar concurso público na capital, e lamentou a destruição causada pela cheia. “Só estando aqui para ter noção da tragédia que natureza causou, com a contribuição do homem ou não”, comenta Luciano, que ressalta que antes de comprar as passagens aéreas fez contato com a instituição responsável pelo concurso, para saber sobre a situação da enchente na capital. Quanto à sujeira, Luciano disse que esperava ver garis trabalhando. “Tanto trabalho a fazer, mas não vejo garis limpando as áreas atingidas”, lamenta o turista.

O G1 tentou contato com o secretário da Semusb, Ricardo Fávaro, para obter informações sobre o cronograma de recuperação do local, mas a assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal de Porto Velho informou que o secretário passou o dia em reunião fechada com o prefeito Mauro Nazif, e somente ele poderia passar as informações sobre a limpeza do local.

É possível ver a marca de onde a água do rio chegou nos galpões da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (Foto: Gaia Quiquiô/G1)Água do rio chegou nos galpões da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (Foto: Gaia Quiquiô/G1)

Cheia histórica
A cheia histórica do Rio Madeira atingiu mais de 30 mil pessoas em todo o estado, chegando a marca de 19,74 metros no dia 30 de março. Segundo a aferição da Agência Nacional de Águas (ANA), a nível do Madeira caiu para 17 metros nesta quarta. Para recuperar os locais afetados pela inundação, o governo de Rondônia divulgou que prepara um Plano de Reconstrução e Prevenção de Desastres para ser apresentado ao Governo Federal com a finalidade de angariar recursos.

Enviado via iPad

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.